SANGUE: A BÍBLIA PROÍBE TRANSFUSÃO DE SANGUE? - https://adeusheresias.com.br

www.ADEUS HERESIAS.com.br
Site dedicado a pessoas sinceras estudiosas da Bíblia.
Ir para o conteúdo

SANGUE: A BÍBLIA PROÍBE TRANSFUSÃO DE SANGUE?

ÚLTIMA NOTÍCIA DO JUDICIÁRIO:   MÉDICO QUE RECUSAR OPERAR PACIENTE  SEM TRANSFUSÃO DE SANGUE PAGARÁ INDENIZAÇÃO AO PACIENTE. VEJA A JURISPRUDÊNCIA:


TRANSFUSÃO DE SANGUE- PARTE RELIGIOSA
01- O contexto geral e imediato de Atos 15:28,29 dá margem para que a transfusão de sangue não seja antibíblica?
RESPOSTA: CONTEXTO IMEDIATO: "Então alguns que tinham descido da Judéia ensinavam assim os irmãos: Se não vos circuncidardes conforme o uso de Moisés, não podeis salvar-vos. ATOS 15:1- ALMEIDA FIEL
Nesse caso os Cristãos não Judeus teriam que guardar a Lei mosaica inteira se circuncidassem. Embora alguns judaizantes que se tornaram cristãos continuassem a guardar a Lei, seria necessário decidir a Questão levantada:

OS CRISTÃOS GUARDARIAM OU NÃO A LEI MOSAICA?
Bem Paulo e seu companheiro subiram a Jerusalém e reuniram-se os apóstolos e anciãos para decidirem a questão.
Com a inspiração do espírito santo a decisão foi unânime: " Por isso julgo que não se deve perturbar aqueles, dentre os gentios, que se convertem a Deus. Mas escrever-lhes que se abstenham das contaminações dos ídolos, da fornicação, do que é sufocado e do sangue" .Atos 15:19,20 - ALMEIDA FIEL.

A DECISÃO: Paulo e companheiro receberam a resolução final: Não é necessário nem a circuncisão nem a guarda da Lei de Moisés.
MAS ABSTER SE DO SUFOCADO, DO SACRIFICADO A ÍDOLOS, DO SANGUE E DA PROSTITUIÇÃO CONTINUARIAM SER OBSERVADOS.  
"Na verdade pareceu bem ao Espírito Santo e a nós, não vos impor mais encargo algum, senão estas coisas necessárias:
Que vos abstenhais das coisas sacrificadas aos ídolos, e do sangue, e da carne sufocada, e da fornicação, das quais coisas bem fazeis se vos guardardes. Bem vos vá. Atos 15:28,29

A GRANDE QUESTÃO DEPOIS DA DECISÃO É: "Então os novos cristãos deveriam continuar a observar aqueles termos da LEI MOSAICA por NÃO comerem ou alimentar-se oralmente do sangue junto à carne? Gên. 9:1-6; Lev. 17:10-16.
Bem, pelo texto direto de Atos 15:28,29, A ORDEM É CLARA: A LEI AGORA FOI EXPRESSA POR PRINCÍPIOS:
"ABSTER-SE, DE COMER carne sufocada, COMER CARNE SACRIFICADA á ídolos (sem sangrar), ABSTER DO SANGUE, em separado de qualquer tipo de carne, e ABSTER-SE DA PROSTITUIÇÃO.

Percebe agora que NA LEI CRISTÃ, a QUESTÃO DO SANGUE foi ampliada para PRINCÍPIOS?
Será que o não fornicar da Lei Mosaica é o mesmo que ABSTER DA FORNICAÇÃO na Lei Cristã?
Jamais, pois a FORNICAÇÃO na Lei Cristã tornou mais severa e por PRINCÍPIOS.

SEGUNDA GRANDE QUESTÃO:
Por que Levítico 17:15 permitia-se alimentar  de animal já morto ou dilacerado sem o sangramento exigido da Lei Mosaica?
RESPOSTA: Em Deuteronômio 14:21, fez-se a concessão de se vender ao residente forasteiro ou ao estrangeiro o animal que morresse por si mesmo ou que fosse dilacerado por uma fera.
Fazia-se assim uma distinção entre o sangue de animais assim e o de animais abatidos para alimento. (Veja Le 17:14-16.) Os israelitas, bem como os residentes forasteiros que adotaram a adoração verdadeira e passaram a estar sob o pacto da Lei, eram obrigados a cumprir todos os elevados requisitos desta Lei.
Pessoas de todas as nações estavam sob a obrigação do requisito de Gênesis 9:3, 4, mas os que estavam sob a Lei eram obrigados por Deus a seguir uma norma mais elevada na aderência a este requisito do que os estrangeiros e os residentes forasteiros que não se tornaram adoradores de Jeová.

TRANSFUSÃO DE SANGUE- PARTE MEDICINAL
A medicina moderna sem sangue está salvando milhares de pessoas que as transfusões de sangue matariam.
TESTEMUNHAS DE JEOVÁ PROÍBEM USAR O PRÓPRIO SANGUE ESTOCADO?
O sangue "in natura"  depois que saiu da corrente sanguínea necessita de anticoagulantes e outras drogas para se conservar em geladeiras...
AS PLAQUETAS MORREM.. OS GLÓBULOS VERMELHOS se dilatam IMPEDINDO O FLUXO NORMAL NOS CAPILARES" ...
OS TJS ACEITAM AUTO TRANSFUSÃO NO ATO CIRURGICO.>>HEMODILUIÇÃO NORMOVOLÊMICA" UM PROCESSO PERFEITO E SEGURO.


QUESTIONAMENTOS DE LEITORES
01- A nova "medicina moderna" sem sangue é apenas uma falácia, pois ela recorre a componentes do sangue e ao próprio sangue do paciente!
RESPOSTA: É do conhecimento de todos que as frações dos 4 componentes básicos do sangue, não é realmente sangue. Deus dá o exemplo na própria concepção. A mãe só transfunde ao filho todas frações dos 4 componentes básicos do sangue.
Ademais o que a medicina moderna sem sangue mais usa é a albumina. Ela é utilizada para estimular e acelerar o processo chamado eritropoese. O outro processo é a complementação da volemia com substâncias da natureza.
Atualmente a albumina por nós utilizada não é mais da extraída do sangue.
Com relação a auto transfusão consideramos os equipamentos extra-corpóreos  (Cell- server), como se fossem nossos órgãos, assim como numa hemodiálise.

02- Qual é o tratamento da medicina sem sangue em casos de emergência que a vítima perdeu muito sangue?
RESPOSTA: Basicamente o protocolo do atendimento emergencial são os mesmos da medicina rudimentar. É fundamental  que os atendimentos e os primeiros socorros do acidentado com perda sanguínea seja o melhor possível. As equipes de primeiros socorros devem estancar as hemorragias provisoriamente até o atendimento no âmbito hospitalar.

Uma vez que o paciente chegou a UTI com vida e estabilizado utiliza-se os protocolos sem sangue, completando a VOLEMIA (expansores do plasma), estabilizando se a pressão sanguínea e oxigenação do paciente. Neste ponto do atendimento inicia-se estimulação a produção de glóbulos vermelhos pela eritropoese. Ninguém vai a Óbito por hemoglobina baixa.
É imperativo iniciar a averiguação rápida de sangramentos internos significativos, pois nem a transfusão de gota em gota ou a complementação da volemia resolveriam a questão.

Os médicos deverem ser rigorosos na cauterização de pequenos sangramentos.  Jamais deve-se fazer as cirurgias desnecessárias no ato do atendimento primário hospital.
Espera-se a recuperação sanguínea para posteriores cirurgias.  Não há risco de morte dai para frente do paciente que esteja sendo acompanhado.

03 - No aleitamento materno existe grande quantidade de leucócitos. A mãe transfere ao bebe em gestação também leucócitos, isto prova que podemos fazer TRANSFUSÕES.
RESPOSTA: Os Leucócitos são células sanguíneas conhecidas por muitas pessoas como glóbulos brancos. Essas células podem ser classificadas em diversos tipos, entretanto, todos atuam em prol de um bem comum: a defesa do organismo.
É claro e evidente que a MÃE NÃO TRANSFUNDE LEOCÓCITOS "IN NATURA" (plasma) nem no aleitamento materno nem gestação ao Bebê.
Todas frações separadamente do plasma ou leucócitos são aceitas por não serem sangue.
Isoladamente todas frações dos glóbulos brancos não oferecem risco a saúde humana, no tocante a transmissão de vírus e ou outros agentes transmissores de doenças.
Portanto, no leite e no cordão umbilical é que frações separadamente do plasma sanguíneo chegam ao feto e ao amamentado.

04- Quando ocorre uma grave hemorragia, o paciente tem receber o mais depressa glóbulos vermelhos pois são estes que transportam oxigênio aos órgãos e caso a hemorragia não seja rapidamente estancada e existe rápida perda de sangue o paciente morre.
RESPOSTA: O resíduo de sangue acumulados em todos órgãos do corpo adicionados a expansor de sangue com a volemia correta, não há óbito. Testes nos USA com porcos mostraram que se retirarmos todo o sangue em circulação do animal e completarmos com expansores os animais continuaram vivo e em pé.
Somente o resíduo dos glóbulos vermelhos remanescentes no corpo é o bastante para oxigenar em condições provisórias o indivíduo.

TRANSFUSÃO DE SANGUE- PARTE JURÍDICA
Comentários Ref.: Portaria N.o 1.820, de 13 de agosto de 2009.
O Ministério da Saúde do Brasil publicou no Diário Oficial da União N° 155, de 14 de agosto de 2009, páginas 80 e 81, a Portaria N.o 1.820, de 13 de agosto de 2009, a respeito dos direitos e deveres dos usuários da saúde no Brasil.

O texto da Portaria, que pode ser acessado no site do Diário Oficial da União. Uma versão impressa poderá ser obtida no seguinte endereço:
http ://www.cremesp.org.br/library/modulos/legislacao/versão_impressao.php?id=8801.
Essa Portaria contém vários artigos e disposições que privilegiam o direito de escolha livre e esclarecida do paciente.

Por exemplo, o Artigo 4°, parágrafo único, diz: "É direito da pessoa, na rede de serviços de saúde, ter atendimento humanizado, acolhedor, livre de qualquer discriminação, restrição ou negação em virtude de ... religião." O inciso IX, item d, desse Artigo, acrescenta que é garantido ao paciente o respeito "aos seus valores éticos, culturais e religiosos". O "inciso IX desse mesmo Artigo inclui que o paciente tem direito a "informação a respeito de diferentes possibilidades terapêuticas de acordo com sua condição clínica, baseado nas evidências científicas e a relação custo-benefício das alternativas de tratamento, com direito à recusa, atestado na presença de testemunha". Os incisos XI, XII e XIV acrescentam que o paciente também tem o direito 'à escolha de alternativa de tratamento, quando houver, e à consideração da recusa de tratamento proposto; o recebimento de visita, quando internado, de outros profissionais de saúde que não pertençam àquela unidade hospitalar sendo facultado a esse profissional o acesso ao prontuário e o recebimento de visita de religiosos de qualquer credo, sem que isso acarrete mudança da rotina de tratamento e do estabelecimento e ameaça à segurança ou perturbações a si ou aos outros'.

O Artigo 5° também apresenta vários pontos muito importantes, que incluem "o acesso da pessoa ao conteúdo do seu prontuário ou de pessoa por ele autorizada", "a indicação de sua livre escolha, a quem confiará a tomada de decisões para a eventualidade de tomar-se incapaz de exercer sua autonomia" e que o paciente tem o direito de assinar um termo de consentimento livre e esclarecido.

A Portaria 1.820, que foi  denominada pelo ministério da Saúde como "Carta dos Direitos dos Usuários da Saúde".

CONCLUSÃO:
A maioria das pessoas imagina que transfusão é um procedimento seguro. Todos pesam que o índice de MORTALIDADE causada pelas transfusões sanguíneas é pequeno.
Mas pergunte-se: Já viram algum atestado de Óbito com o laudo da causa morte "transfusão de sangue"? Pois é, nunca viram.  E que dizer quando o paciente recebe alta e já em casa depois de algum tempo morre pela transfusão de sangue. Alguém fica sabendo? Não são poucos os casos.




MATÉRIA ADICIONAL



Voltar para o conteúdo