JUDEUS COMO NAÇÃO, AINDA É O POVO ESPECIAL DE JEOVÁ? - https://adeusheresias.com.br

www.ADEUS HERESIAS.com.br
Site dedicado a pessoas sinceras estudiosas da Bíblia.
Ir para o conteúdo

JUDEUS COMO NAÇÃO, AINDA É O POVO ESPECIAL DE JEOVÁ?

Jerusalém, Jerusalém, matadora dos profetas e apedrejadora dos que lhe são enviados — quantas vezes quis eu ajuntar os teus filhos, assim como a galinha ajunta os seus pintinhos debaixo de suas asas! Mas vós não o quisestes.  Eis que a vossa casa vos fica abandonada. Mat. 37,38.

A Nova Nação é o Israel Espiritual. Durante séculos, Jeová Deus lidou exclusivamente com o Israel natural, vez após vez enviando seus profetas à nação para que o povo se desviasse do seu proceder errante.
Por fim, enviou seu Filho, Cristo Jesus, mas a maioria o rejeitou. Por isso, Jesus disse aos principais sacerdotes e fariseus descrentes: “O reino de Deus vos será tirado e será dado a uma nação que produza os seus frutos.” — Mt 21:33-43.

O apóstolo Pedro identificou claramente esta “nação” como composta de pessoas que haviam aceito a Cristo Jesus. (1Pe 2:4-10)
De fato, Pedro aplicou a concristãos as mesmas palavras dirigidas ao Israel natural: “Vós sois ‘raça escolhida, sacerdócio real, nação santa, povo para propriedade especial.” (1Pe 2:9; veja Êx 19:5, 6.)
Todos eles reconheciam Deus como Governante, e Seu Filho como Senhor e Cristo. (At 2:34, 35; 5:32)

Possuíam a cidadania celestial (Fil 3:20) e foram selados com o espírito santo, que era um penhor antecipado da sua herança celestial. (2Co 1:22; 5:5; Ef 1:13, 14)
Ao passo que o Israel natural era constituído em nação sob o pacto da Lei, a “nação santa” dos cristãos gerados pelo espírito tornou-se tal sob o novo pacto. (Êx 19:5; He 8:6-13)
Por estes motivos, era bem apropriado serem chamados de “nação santa”.

Quando o espírito santo foi derramado pela primeira vez sobre cerca de 120 discípulos de Jesus (todos judeus naturais) no dia de Pentecostes no ano 33 EC, tornou-se evidente que Deus estava lidando com uma nova nação espiritual. (At 1:4, 5, 15; 2:1-4; compare isso com Ef 1:13, 14.)
Mais tarde, começando no ano 36 EC, tornar-se membro da nação santa foi estendido a gentios incircuncisos, os quais também receberam o espírito de Deus. — At 10:24-48; Ef 2:11-20.

São os judeus naturais da atualidade o povo escolhido de Deus?
Essa é a crença de muitos judeus. A Encyclopaedia Judaica (Jerusalém, 1971, Vol. 5, col. 498) diz: “POVO ESCOLHIDO: termo usualmente empregado para designar o povo de Israel; expressa o conceito de que o povo de Israel goza de especial e exclusiva relação com a deidade universal. Esta tem sido a idéia fundamental através da história do pensamento judaico.” — Veja Deuteronômio 7:6-8; Êxodo 19:5.
Muitos na cristandade pensam da mesma forma. A coluna religiosa do Journal and Constitution (22 de janeiro de 1983, p. 5-B), de Atlanta, EUA, dizia: “Ao contrário do ensino secular das igrejas de que Deus ‘rejeitou seu povo Israel’, substituindo-o pelo ‘novo Israel’, ele [Paul M. Van Buren, teólogo da Universidade Temple, da Filadélfia, EUA] diz que as igrejas afirmam agora que ‘o pacto entre Deus e o povo judeu é eterno. Esta surpreendente reversão tem ocorrido entre protestantes e católicos, e em ambos os lados do Atlântico.’” O jornal Times de Nova Iorque (6 de fevereiro de 1983, p. 42) acrescentava: “‘Há uma fascinação da parte da direita evangélica com Israel e uma crença de que tudo o que Israel faz precisa ser apoiado, porque Deus está do lado de Israel’, disse Timothy Smith, professor de teologia da Universidade Johns Hopkins, que é evangélico metodista.” Alguns na cristandade esperam a conversão e a derradeira salvação de todo o Israel natural. Outros adotam o conceito de que sempre houve um vínculo inseparável entre Deus e Israel, concluindo assim que somente os gentios devem reconciliar-se com Deus mediante Cristo.

Considere: Após o exílio babilônico, quando Israel foi restaurado na sua terra o povo devia restabelecer a adoração verdadeira na sua terra concedida por Deus. Um dos primeiros projetos empreendidos foi a reconstrução do templo de Jeová em Jerusalém. Não obstante, desde a destruição de Jerusalém pelos romanos no ano 70 EC, o templo jamais foi reconstruído. Em vez disso, no local do antigo templo há uma mesquita muçulmana. Se os judeus, que afirmam estar sob a Lei mosaica, estivessem atualmente em Jerusalém qual povo escolhido de Deus, não teria sido reconstruído o Seu templo de adoração?
Mat. 21:42, 43: “Jesus disse-lhes [aos principais sacerdotes e aos anciãos dos judeus em Jerusalém]: ‘Nunca lestes nas Escrituras: “A pedra que foi rejeitada pelos construtores é a que se tem tornado a principal pedra angular. Isto procede de Jeová e é maravilhoso aos nossos olhos”? É por isso que vos digo: O reino de Deus vos será tirado e será dado a uma nação que produza os seus frutos.’”
Mat. 23:37, 38: “Jerusalém, Jerusalém, matadora dos profetas e apedrejadora dos que lhe são enviados — quantas vezes quis eu ajuntar os teus filhos, assim como a galinha ajunta os seus pintinhos debaixo de suas asas! Mas vós não o quisestes. Eis que a vossa casa vos fica abandonada.”
Será que o pacto de Deus com Abraão garante que os judeus continuam sendo o povo escolhido de Deus?
Gál. 3:27-29: “Todos vós, os que fostes batizados em Cristo, vos revestistes de Cristo. Não há nem judeu nem grego, não há nem escravo nem homem livre, não há nem macho nem fêmea; pois todos vós sois um só em união com Cristo Jesus. Além disso, se pertenceis a Cristo, sois realmente descendente de Abraão, herdeiros com referência a uma promessa.” (Desse modo, do ponto de vista de Deus, pertencer à linhagem de Abraão não é o fator determinante para se fazer parte da descendência de Abraão.)

Converter-se-ão à fé em Cristo todos os judeus, alcançando a salvação eterna?
Rom. 11:25, 26: “Não quero, irmãos, que sejais ignorantes deste segredo sagrado, a fim de que não sejais discretos aos vossos próprios olhos: que a obtusão das sensibilidades aconteceu em parte a Israel, até que tenha entrado o pleno número de pessoas das nações, e desta maneira [“é assim que”, BLH; “assim”, ALA, PIB; grego, hoú·tos] é que todo o Israel será salvo.” (Note que a salvação de “todo o Israel” se dá, não mediante a conversão de todos os judeus, mas pela ‘entrada’ de pessoas das nações gentias. Alguns tradutores vertem o versículo 26 da seguinte forma: “E então, depois disso, o restante de Israel será salvo.” Mas A Manual Greek Lexicon of the New Testament [Edimburgo, Escócia, 1937, G. Abbott-Smith, p. 329] define hoú·tos com a acepção de “desta maneira, assim, desse modo”.)
Para chegarmos a um entendimento correto do que se acha registrado em Romanos 11:25, 26, precisamos considerar também o que foi dito antes em Romanos: “Não é judeu aquele que o é por fora, nem é circuncisão aquela que a é por fora, na carne. Mas judeu é aquele que o é no íntimo, e a sua circuncisão é a do coração, por espírito, e não por um código escrito.” ( 2:28, 29) “Nem todos os que procedem de Israel são realmente ‘Israel’.” —  9:6.

É necessário que os judeus tenham fé em Jesus Cristo para serem salvos?
Isaías 53:1-12 predisse a morte do Messias que ‘levaria os pecados de muitos e faria intercessão pelos transgressores’. Daniel 9:24-27 associou a vinda do Messias e sua morte com ‘terminar o pecado e perdoar a iniqüidade’. (JP) Ambas as passagens mostram que os judeus necessitavam tal intercessão e perdão. Poderiam rejeitar o Messias e esperar ter a aprovação Daquele que o enviou?
Atos 4:11, 12: “[A respeito de Jesus Cristo, o apóstolo Pedro foi movido por espírito santo a dizer aos governantes e anciãos judeus de Jerusalém:] Esta é ‘a pedra que por vós, construtores, não foi levada em conta, que se tornou a principal do ângulo’. Outrossim, não há salvação em nenhum outro, pois não há outro nome debaixo do céu, que tenha sido dado entre os homens, pelo qual tenhamos de ser salvos.” (Embora a nação do Israel natural não mais goze do favor especial de Deus, há oportunidade para os judeus individuais, assim como para pessoas de todas as nações, beneficiarem-se da salvação que se torna possível por meio de Jesus, o Messias.)

Será que os acontecimentos atuais em Israel são cumprimento da profecia bíblica?
Eze. 37:21, 22, JP: “Assim disse o Senhor DEUS: Eis que tomo os filhos de Israel de entre as nações para onde foram, e ajuntá-los-ei de todo lado, e os trarei à sua própria terra; e farei deles uma só nação na terra, sobre os montes de Israel, e um só rei será rei sobre todos eles.” (Israel atualmente não é uma nação sob o domínio de um rei da linhagem real de Davi. É uma república.)
Isa. 2:2-4, JP: “Há de acontecer no fim dos dias, que o monte da casa do SENHOR há de ser estabelecido como o cume dos montes, e há de ser enaltecido acima das colinas; e todas as nações afluirão a ele. E muitos povos hão de ir e dizer: ‘Vinde, e subamos ao monte do SENHOR, à casa do Deus de Jacó; e Ele nos ensinará sobre os Seus caminhos e nós andaremos nas Suas veredas.’ . . . E forjarão das suas espadas relhas de arado, e das suas lanças, podadeiras; nação não levantará espada contra nação, nem aprenderão mais a guerra.” (Na Jerusalém atual, no lugar do antigo templo não há nenhuma “casa do Deus de Jacó”, mas, em vez disso, uma mesquita muçulmana. E não há nenhum esforço da parte de Israel ou de seus vizinhos no sentido de ‘forjarem das suas espadas arados’. Para sua sobrevivência, dependem de seu preparo militar.)
Isa. 35:1, 2, JP: “O ermo e a terra ressequida se alegrarão; e o deserto jubilará e florescerá como a rosa. Florescerá abundantemente, e jubilará, sim com alegria e canto; dar-se-lhe-á a glória do Líbano, a excelência do Carmelo e de Sarom; verão a glória do SENHOR, a excelência do nosso Deus.” (Notáveis projetos de reflorestamento e irrigação foram empreendidos com bom êxito em Israel. Mas seus líderes não atribuem o crédito ao Senhor Deus. Conforme um ex-primeiro ministro, David Ben-Gurion, disse: “Israel está determinado . . . a vencer o deserto e fazê-lo florescer pelo poder da ciência e do espírito pioneiro, e a transformar o país num baluarte da democracia.”)
Zac. 8:23; JP: “Naqueles dias há de acontecer que dez homens agarrarão, dentre todas as línguas das nações, sim, agarrarão a aba da veste daquele que é judeu, dizendo: Iremos convosco, pois ouvimos que Deus está convosco.” (A que Deus se refere a profecia? No hebraico o Seu nome [יהוה, comumente traduzido Jeová] aparece mais de 130 vezes só neste livro das Escrituras Sagradas. Hoje em dia, quando alguém usa esse nome, será que as pessoas concluem que ele é judeu? Não; pois durante séculos, a superstição fez com que o povo judeu como um todo se refreasse de sequer pronunciar o nome pessoal de Deus. O reavivamento do interesse religioso com relação ao Israel natural atualmente não cumpre essa profecia.)
Como, devem, então, ser encarados os acontecimentos no Israel atual? Meramente como parte da marcha dos acontecimentos globais preditos na Bíblia. Estes incluem guerra, anarquia, o esfriamento do amor a Deus e o amor ao dinheiro. — Mat. 24:7, 12; 2 Tim. 3:1-5.

Entre quem se cumprem hoje as profecias sobre a restauração de Israel?
Gál. 6:15, 16: “Nem a circuncisão é alguma coisa nem a incircuncisão, mas sim uma nova criação. E todos os que andarem ordeiramente segundo esta regra de conduta, sobre estes haja paz e misericórdia, sim, sobre o Israel de Deus.” (Portanto, não mais se conclui quem é “o Israel de Deus” à base de se ele cumpre o requisito imposto a Abraão para que todos os varões em sua casa se circuncidassem. Antes, conforme declarado em Gálatas 3:26-29, aqueles que pertencem a Cristo e são filhos de Deus gerados pelo espírito é que ‘são realmente descendente de Abraão’.)
Jer. 31:31-34: “‘Eis que vêm dias’, é a pronunciação de Jeová, ‘e eu vou concluir um novo pacto com a casa de Israel e com a casa de Judá . . . E não mais ensinarão, cada um ao seu companheiro e cada um ao seu irmão, dizendo: “Conhecei a Jeová!” porque todos eles me conhecerão, desde o menor deles até o maior deles’, é a pronunciação de Jeová.” (Este novo pacto foi feito com os leais seguidores de Jesus Cristo a quem se estendeu a esperança da vida celestial, e não com a nação do Israel natural. Ao instituir a Comemoração de sua morte, Jesus deu a esses seguidores um copo de vinho e disse: “Este copo significa o novo pacto em virtude do meu sangue.” [1 Cor. 11:25])
Apoc. 7:4: “Ouvi o número dos selados: cento e quarenta e quatro mil, selados de toda tribo dos filhos de Israel.” (No entanto, nos versículos seguintes, mencionam-se a “tribo de Levi” e a “tribo de José”. Estas tribos não eram incluídas nas listagens das 12 tribos do Israel natural. É de interesse notar que, embora se diga que a selagem seria “de toda tribo”, as tribos de Dã e de Efraim não são mencionadas. [Compare com Números 1:4-16.] Deve-se referir aqui ao Israel espiritual de Deus, aos que, segundo mostra Apocalipse 14:1-3, tomarão parte no reino celestial com Cristo.)
Heb. 12:22: “Vós vos chegastes a um Monte Sião e a uma cidade do Deus vivente, a Jerusalém celestial, e a miríades de anjos.” (Desse modo, os verdadeiros cristãos atentam para a “Jerusalém celestial”, não para a terrestre, para o cumprimento das promessas de Deus.)

MATÉRIAS ADICIONAIS
Voltar para o conteúdo