FILOSOFIA: COMO DEUS CONSIDERA A SABEDORIA HUMANA? - https://adeusheresias.com.br

www.ADEUS HERESIAS.com.br
Site dedicado a pessoas sinceras estudiosas da Bíblia.
Ir para o conteúdo

FILOSOFIA: COMO DEUS CONSIDERA A SABEDORIA HUMANA?

FILOSOFIA
Definição: A palavra filosofia vem de raízes gregas que significam “amor da sabedoria”. A filosofia, segundo empregado aqui o termo, não tem por base a aceitação da crença em Deus, mas procura dar aos indivíduos uma concepção unificada do universo, e procura fazer deles pensadores críticos. Na busca da verdade, emprega principalmente meios especulativos e não a observação.

Como pode qualquer de nós adquirir verdadeiro conhecimento e sabedoria?
Pro. 1:7; Sal. 111:10: “O temor de Jeová é o princípio do conhecimento . . . [e] da sabedoria.” (Se o universo não fosse o produto de um Criador inteligente, mas de mera força cega, irracional, seria possível termos uma concepção unificada do universo? Será que do estudo de algo que em si é irracional resultaria o que quer que seja que se qualificasse como sabedoria? Os que tentam conceber o universo, ou a própria vida, não levando em conta a Deus e seu propósito, enfrentam constante frustração. Interpretam mal o que aprendem e fazem uso errado dos fatos que colhem. A desconsideração da crença em Deus destrói a chave do conhecimento exato e torna impossível uma linha de pensamento verdadeiramente coerente.)
Pro. 2:4-7: “Se persistires em procurar isso como a prata e continuares a buscar isso como a tesouros escondidos, neste caso entenderás o temor a Jeová e acharás o próprio conhecimento de Deus. Pois o próprio Jeová dá sabedoria; da sua boca procedem conhecimento e discernimento. E para os retos ele entesourará a sabedoria prática.” (Jeová provê a necessária ajuda por meio de sua Palavra escrita e de sua organização visível. São também necessários um desejo sincero e esforço pessoal, incluindo o uso construtivo das próprias faculdades de raciocínio.)

É realístico esperar encontrar nessa Fonte a verdade absoluta?
2 Tim. 3:16; João 17:17: “Toda a Escritura é inspirada por Deus.” “[Jesus disse a seu Pai celestial:] A tua palavra é a verdade.” (Não há lógica em pensar que o Criador do universo haveria de ter pleno entendimento deste? Ele não revelou tudo na Bíblia a respeito do universo, mas o que ele fez escrever ali não é especulação; é a verdade. Declarou também na Bíblia qual é o seu propósito para com a terra e para com a humanidade, também como o cumprirá. Sua onipotência, sua superlativa sabedoria, sua impecável justiça e seu grande amor garantem que seu propósito se cumprirá plenamente, do melhor modo possível. Suas qualidades nos asseguram assim que sua declaração quanto ao seu propósito é plenamente segura; é verdadeira.)

Qual é a origem das filosofias humanas?
Procedem de pessoas que têm limitações: A Bíblia nos informa: “Não é do homem que anda o dirigir o seu passo.” (Jer. 10:23) A história testifica que a tentativa de não levar em conta essa limitação não produziu bons resultados. Certa vez, “Jeová passou a responder a Jó de dentro do vendaval e a dizer: ‘Quem é este que está obscurecendo o conselho por meio de palavras sem conhecimento? Por favor, cinge os teus lombos como um varão vigoroso e deixa-me perguntar-te, e faze-me saber. Onde vieste a estar quando fundei a terra? Informa-me, se deveras conheces a compreensão.’” (Jó 38:1-4) (Os humanos têm por natureza limitações. Além disso, sua experiência na vida é relativamente breve e usualmente se restringe a uma só cultura ou a um só meio social. O conhecimento que possuem é, por conseguinte, limitado, e tudo está interligado a tal ponto que encontram constantemente aspectos que não haviam considerado adequadamente. Quaisquer filosofias que criarem refletirão essas limitações.)
São desenvolvidas por humanos imperfeitos: “Todos pecaram e não atingem a glória de Deus.” (Rom. 3:23) “Há um caminho que é reto diante do homem, mas o fim posterior dele são os caminhos da morte.” (Pro. 14:12) (Em razão de tais imperfeições, as filosofias humanas amiúde refletem um egoísmo básico que conduz talvez a um prazer momentâneo, mas também à frustração e a muita infelicidade.)
São influenciadas por espíritos demoníacos: “O mundo inteiro jaz no poder do iníquo.” (1 João 5:19) “O chamado Diabo e Satanás . . . está desencaminhando toda a terra habitada.” (Rev. 12:9) “Andastes outrora segundo o sistema de coisas deste mundo, segundo o governante da autoridade do ar, o espírito que agora opera nos filhos da desobediência.” (Efé. 2:2) (As filosofias que encorajam as pessoas a desobedecer aos requisitos sadios e justos de Deus refletem tal influência. Não é de admirar, conforme atesta a história, que as filosofias e os planos dos homens com freqüência trouxeram aflição a grandes segmentos da humanidade.)

Por que é o estudar os ensinamentos de Jesus Cristo em vez de estudar as filosofias humanas uma evidência de raciocínio fundamentado?
Col. 1:15-17: “Ele [Jesus Cristo] é a imagem do Deus invisível, o primogênito de toda a criação; porque mediante ele foram criadas todas as outras coisas nos céus e na terra . . . Todas as outras coisas foram criadas por intermédio dele e para ele. Também, ele é antes de todas as outras coisas e todas as outras coisas vieram a existir por meio dele.” (Sua relação íntima com Deus o habilita a ajudar-nos a aprender a verdade a respeito de Deus. Além disso, sendo ele aquele por meio de quem todas as outras coisas foram feitas, Jesus tem pleno conhecimento do inteiro universo criado. Nenhum filósofo humano pode oferecer quaisquer destas coisas.)
Col. 1:19, 20: “Deus achou bom que morasse nele [em Jesus Cristo] toda a plenitude, e, por intermédio dele, reconciliar novamente todas as outras coisas consigo mesmo, por fazer a paz por intermédio do sangue que ele derramou na estaca de tortura.” (Assim, Jesus Cristo é aquele por meio de quem Deus propôs levar toda a criação de volta à harmonia consigo mesmo. Deus confiou também a Jesus o governo sobre toda a terra, conforme demonstrado em Daniel 7:13, 14. Portanto, nossas perspectivas de vida para o futuro dependem de chegarmos a conhecê-lo e de reagirmos favoravelmente à sua instrução.)
Col. 2:8: “Acautelai-vos: talvez haja alguém que vos leve embora como presa sua, por intermédio de filosofia e de vão engano, segundo a tradição de homens, segundo as coisas elementares do mundo e não segundo Cristo.” (Que triste erro seria escolher tal enganosa filosofia humana em preferência a adquirir verdadeira sabedoria como discípulo de Jesus Cristo, a segunda maior pessoa do universo, depois do próprio Deus!)

Como considera Deus a “sabedoria” oferecida pela filosofia humana?
1 Cor. 1:19-25: “Está escrito: ‘Farei perecer a sabedoria dos sábios e repelirei a inteligência dos intelectuais.’ Onde está o sábio? Onde o escriba? Onde o polemista deste sistema de coisas? Não tornou Deus tola a sabedoria do mundo? Pois, uma vez que, na sabedoria de Deus, o mundo, pela sua sabedoria, não chegou a conhecer a Deus, Deus achou bom salvar os que crêem, por intermédio da tolice [segundo parece ser para o mundo] do que se prega. . . . Porque uma coisa tola de Deus [segundo o ponto de vista do mundo] é mais sábia do que os homens, e uma coisa fraca de Deus [talvez segundo o conceito do mundo] é mais forte do que os homens.” (Tal conceito da parte de Deus certamente não é arbitrário nem ilógico. Ele forneceu na Bíblia, o livro de maior circulação no mundo, uma clara exposição do seu propósito. Tem enviado suas testemunhas para que o expliquem a todos os que querem ouvir. Quão tolo é, pois, uma pessoa, seja ela quem for, pensar que tem sabedoria maior do que a de Deus!)

Voltar para o conteúdo