DIVINDADE DE JEOVÁ, CRISTO, OUTROS DEUSES, E PESSOAS - https://adeusheresias.com.br

www.ADEUS HERESIAS.com.br
Site dedicado a pessoas sinceras estudiosas da Bíblia.
Ir para o conteúdo

DIVINDADE DE JEOVÁ, CRISTO, OUTROS DEUSES, E PESSOAS

DEFINIÇÃO: DIVINO
Aquilo que pertence a Deus ou se refere a ele, aquilo que é semelhante a Deus ou celestial.
Em alguns lugares, nas Escrituras Hebraicas, as palavras ʼEl (forma singular da palavra “Deus”) e ʼElo·hím (forma plural majestático da palavra “Deus”) são usadas lado a lado. Assim, em Josué 22:22 e no Salmo 50:1, o texto hebraico reza ʼEl ʼElo·hím Yehwáh. Ao passo que algumas traduções (Ro; Sal 49:1, BC [em espanhol]) simplesmente transliteram as primeiras duas palavras desta frase, outras a vertem por “o Deus dos deuses” (BJ, BV, MC, Tr), ou, mais exatamente, ‘O Poderoso, Deus’ (ALA, AS, IBB, Mo, VB), e “Divino, Deus” (NM). — Veja DEUS.
Nas Escrituras Gregas Cristãs, certas palavras derivadas de the·ós (deus) aparecem e se relacionam com aquilo que é divino. As palavras aparentadas theí·os, thei·ó·tes e the·ó·tes ocorrem em Atos 17:29,

Romanos 1:20; Colossenses 2:9 e 2 Pedro 1:3, 4.
Em Atos 17:29, Paulo, em Atenas, mostrou que não é lógico que os humanos imaginem que “o Ser Divino [to theí·on, forma de theí·os] seja semelhante a ouro, ou prata, ou pedra”. Muitos tradutores usam aqui termos tais como “a Divindade” (Al, BJ, CBC, MC, PIB), ao passo que a tradução, em inglês, de E. J. Goodspeed diz “a natureza divina”. Segundo The International Standard Bible Encyclopedia (A Enciclopédia Bíblica Padrão Internacional), a expressão to theí·on “deriva do adjetivo theíos, que significa ‘pertencente a Deus’, ‘divino’”. (Editada por G. Bromiley, 1979, Vol. 1, p. 913) O Greek-English Lexicon (Léxico Grego-Inglês) de Liddell e Scott dá como sentido “a Divindade”. (Revisado por H. Jones, Oxford, 1968, pp. 787, 788) De modo que a frase to theí·on pode ser entendida como se referindo a uma pessoa ou a uma qualidade. Obviamente, pois, o contexto tem de orientar o tradutor na sua escolha de palavras. Aqui, em Atos 17:29, o contexto claramente mostra que se descreve a pessoa de Deus, e, portanto, a expressão é traduzida corretamente por “Ser Divino”, na Tradução do Novo Mundo. — Veja NIV.

Em Romanos 1:20, o apóstolo menciona a inegável evidência visível das “qualidades invisíveis” de Deus, especialmente seu “sempiterno poder e Divindade [Thei·ó·tes]”. Outras traduções rezam “deidade” (NE, RS, JB), transmitindo a muitos a ideia de personalidade, a condição de pessoa. No entanto, segundo o Greek-English Lexicon, de Liddell e Scott, a palavra grega thei·ó·tes significa “natureza divina, divindade”. (P. 788) Portanto, há base para se traduzir thei·ó·tes de modo a se referir à qualidade de ser deus, não à pessoa de Deus, e isto é apoiado pelo contexto. O apóstolo trata de coisas que são discerníveis na criação física. Por exemplo, embora a criação não revele o nome de Deus, ela realmente fornece evidência do seu “sempiterno poder” — necessário para criar e sustentar o Universo. A criação física também demonstra sua “Divindade”, o fato de que o Criador deveras é Deus e digno da nossa adoração.

Em Colossenses 2:9, o apóstolo Paulo diz que em Cristo “mora corporalmente toda a plenitude da qualidade divina [forma de the·ó·tes]”. Novamente, algumas traduções rezam aqui “divindade”, o que os trinitaristas interpretam como significando que Deus mora corporalmente em Cristo. (Al, ALA, BJ, CBC) No entanto, o Greek-English Lexicon de Liddell e Scott define the·ó·tes basicamente do mesmo modo que the·ó·tes, com o significado de “divindade, natureza divina”. (P. 792) A Pesito siríaca e a Vulgata latina vertem esta palavra por “divindade”. De modo que aqui, também, há base sólida para se verter the·ó·tes como se referindo à qualidade, não à personalidade.

A consideração do contexto de Colossenses 2:9 mostra claramente que possuir Cristo “divindade” ou “natureza divina” não o torna igual ao Deus Todo-Poderoso. No capítulo anterior, Paulo diz: “Deus achou bom que morasse nele toda a plenitude.” (Col 1:19) Portanto, toda a plenitude mora em Cristo porque isso “foi do agrado do Pai” (Al, So), porque foi “pela própria escolha de Deus”. (NE) Portanto, a plenitude da “divindade” que mora em Cristo é dele em resultado duma decisão do Pai. Mostrando adicionalmente que ter Cristo tal “plenitude” não o torna a mesma pessoa do Deus Todo-Poderoso há o fato de Paulo, mais tarde, falar de Cristo como estar “sentado à direita de Deus”. — Col 3:1.
Quando se toma em consideração o contexto imediato de Colossenses 2:9, nota-se que no versículo 8 se adverte os cristãos a não se deixarem desencaminhar por aqueles que advogam filosofias e tradições humanas. Diz-se-lhes também que “cuidadosamente ocultos [em Cristo] se acham todos os tesouros da sabedoria e do conhecimento”, e eles são exortados a prosseguir “andando em união com ele, arraigados, e sendo edificados nele e estabilizados na fé”. (Col 2:3, 6, 7) Além disso, os versículos 13 a 15 explicam que eles são vivificados pela fé, sendo libertos do pacto da Lei. Paulo argumenta, portanto, que os cristãos não necessitam da Lei (que foi removida por meio de Cristo), nem de filosofias e tradições humanas. Eles já têm todo o necessário, uma “plenitude” preciosa, em Cristo. — Col 2:10-12.

Em 2 Pedro 1:3, 4, o apóstolo mostra que em virtude das “promessas preciosas e mui grandiosas” feitas aos fiéis cristãos ungidos, estes podem ‘tornar-se parceiros na natureza divina, tendo escapado da corrupção que há no mundo pela concupiscência’. Outras partes das Escrituras mencionam cristãos como “parceiros” de Cristo nos seus sofrimentos, numa morte semelhante à dele e numa ressurreição semelhante à dele para a imortalidade como criaturas espirituais, tornando-se co-herdeiros com ele no Reino celestial. (1Co 15:50-54; Fil 3:10, 11; 1Pe 5:1; 2Pe 1:2-4; Re 20:6) Assim é evidente que a participação de cristãos na “natureza divina” é a participação com Cristo na sua glória.

A DIVINDADE DE JEOVÁ:
JOSUÉ 22:22-Divino, Deus, Jeová, Divino, Deus, Jeová, ele sabe, e Israel, ele também saberá. Se foi em rebeldia e se foi em infidelidade contra Jeová, não nos salves neste dia.  (JEOVÁ)
ISAÍAS 46:9- Lembrai-vos das primeiras coisas de há muito tempo, que eu sou o Divino e não há outro Deus. (JEOVÁ)
SALMO 50:1- O próprio Divino, Deus, Jeová, tem falado, E ele passa a chamar a terra.
ATOS 17:29- “Visto, pois, que somos progênie de Deus, não devemos imaginar que o
Ser Divino seja semelhante a ouro, ou prata, ou pedra, semelhante a algo esculpido
pela arte e  inventabilidade do homem, corrupção que há no mundo pela concupiscência.
 
A DIVINDADE DE JESUS
COLOSSENSES 2:9-; e não em Cristo;  porque é nele que toda a plenitude da Qualidade divina mora corporalmente.
E vocês adquiriram uma plenitude por meio dele, aquele que é o  cabeça de todo governo e autoridade.
Colossenses 2:9, mostra claramente que possuir Cristo “divindade” ou “natureza divina” não o  torna igual ao Deus Todo-poderoso.
No capítulo anterior, Paulo diz: “Deus achou bom que morasse nele toda a plenitude. (Col 1:19).
Portanto, toda a plenitude mora em Cristo  porque isso “foi do agrado do Pai” e foi HERDADA DO PAI.


A DIVINDADE DOS CRISTÃOS
2 PEDRO 1:4- para que, por intermédio delas, vos tornásseis parceiros na natureza divina, tendo escapado ....
Assim é evidente que a participação de cristãos na “natureza divina” é a participação com Cristo na sua glória.

O CONCEITO DE SER DEUS NA BÍBLIA
Todos os povos caminham, cada qual em nome do seu deus; nós, porém,
 caminhamos em nome de Javé, nosso Deus para sempre!  Miq. 4:5 Trad. Pastoral

DEUSES  DESIGNADOS POR JEOVÁ E AS HOMENAGENS À ELES
PESSOAS A QUEM JEOVÁ DEU O TÍTULO DE DEUS
01- MOISÉS Êx.4: 16, 7:1.
02- Os Juízes de Israel.  Sal. 82:1-6.
03- Altas autoridades -Sumos Sacerdotes. 1 Samuel 2:36
04- Os  Reis de Israel de DEUS. (Zac. 12:8).>> 1 Sam. 24:8; 25:23,24; 2 Samuel 9:6, 20; Sal 45:11.
05- O Filho de DEUS. Is. 9:6,7; Jo. 1:1,2. João 9:38.
06- Os Anjos. Sal. 97:7. Josué 5: 13-15.


O QUE SIGNIFICA POSSUIR NATUREZA DIVINA?

O teólogo trinitário Daniel B. Wallace, em sua gramática grega em português, página 735, afirma sobre João 1:1:
"Theós em João 1:1c é provavelmente qualitativo (assim, não identificando o [Logos] com a pessoa de [O Deus]), mas ENFATIZANDO QUE SUAS NATUREZAS são a mesma: "O que Deus era, O Verbo era."

Os calouros trinitários gostam de isolar a menção "O que Deus era, o Verbo era". Se eu disser: "O que seu Pai é, você é". . . Ok, tu es uma pessoa inteligente e logo perguntará: "Sim, mas 'meu Pai é o que eu sou' em que sentido?"

Tudo deve ser contextualizado, não é mesmo? Em que sentido "o que Deus era, o Verbo era"?
➫ D. Wallace responde: 'EM SUA NATUREZA'. As Testemunhas de Jeová concordam que o Logos, ou Jesus, em sua pré-existência, possuía NATUREZA DIVINA. (João 1:1 TNM 2015 nota)

Ter a mesma natureza não é sinônimo de possuir igualdade temporal, de sabedoria, poder, entre outros atributos.


QUEM PODE POSSUIR NATUREZA DIVINA?
A natureza é o conjunto de características que torna um Ser naquilo que ele é. Basicamente, a natureza humana significa ter um corpo humano comum à toda a humanidade, ou seja, um corpo de carne e osso e ser dotado de consciência.
Já os seres celestiais, segundo a ANTÍTESE feita por Paulo em 1 Coríntios capítulo 15, possuem corpos espirituais, ou seja, natureza divina e atributos inerentes aos seres espirituais.

“Se há corpo físico, há também um espiritual.” [ 1 Coríntios 15:44 ]... A Bíblia diz que Jeová, o Pai, é Espírito. ..[ João 4:24 ]
Anjos são espíritos. [ Hebreus 1:7 ] ;  A Bíblia se refere aos anjos como sendo “semelhantes a Deus”, eles possuem a mesma natureza de Deus. [ Salmo 8:5; Hebreus 2:7 ].

Em Colossenses 2:9 lemos que “toda a plenitude da DIVINDADE mora corporalmente” em Jesus. Será que a "divindade", ou natureza divina, é algo intrínseco ao Logos ou ele RECEBEU tal atributo?
"Deus se agradou de fazer morar nele toda a plenitude”. [ Colossenses 1:19 ]

Em virtude de que “toda a plenitude” foi dada por Deus ao Filho, houve momento em que o Filho não existia e não possuía tal atributo. Logo, o que Deus era, o Logos não era, nesse sentido e em tantos outros aspectos.

Toda a plenitude mora em Cristo porque isso “foi do agrado do Pai” , porque foi “pela própria escolha de Deus”. A plenitude da divindade que mora em Cristo é dele, em resultado duma "decisão" do Pai.

Só quando passou a existir é que RECEBEU do Pai “toda a plenitude” e pôde estar no princípio com O Deus, possuindo NATUREZA DIVINA. [ João 1:1 ]


Observe a continuação de Colossenses 2:9
E, por estarem nele, que é o Cabeça de todo poder e autoridade, vocês RECEBERAM TODA A PLENITUDE.” [ Colossenses 2:10 NVI ] Percebes que a plenitude que Jesus possui é DADA aos servos fiéis que viverão no céu? Isso os tornaria parte de "O Deus"? Não.

Em adição, veja:
Pelas quais ele nos tem dado as suas preciosas e grandíssimas promessas, para que por elas vos torneis PARTICIPANTES DA NATUREZA DIVINA, havendo escapado da corrupção, que pela concupiscência há no mundo" [ 2 Pedro 1:4 JFA ]

Possuir natureza divina significa ser co-igual a Deus?
Vejamos a análise de Norman Champlin, em sua enciclopédia de Bíblia, Teologia e Filosofia, volume 4, página 459:
"Em última análise, portanto, a redenção indica que o homem, antes natural, pertencente a um nível de vida relativamente inferior, chega a participar da mais elevada forma de vida, a saber, a própria natureza divina (II Ped. 1:4), recebendo a natureza e os atributos de Deus (Efé. 3:19), a plenitude mesma de Deus (Col 2:10). . ."

Os que viverão no céu receberão natureza divina, receberão atributos de Deus e a plenitude da divindade.
Oh, tudo o que os trinitários e unicistas usam para credenciar a Jesus como o Onipotente! Que lástima!

Mostrando adicionalmente que, ter o Logos tal “plenitude” não o torna co-igual ao ONIPOTENTE, há o fato de Paulo, mais tarde, falar de Cristo como estando 'sentado À DIREITA do Onipotente'. [ Colossenses 3:1 ]


BÔNUS, postulamos:
Premissa 1: o Onipotente não recebe atributos ou privilégios em nenhum mundo possível ;
Premissa 2: Jesus recebeu todos os seus atributos e privilégios, incluindo A PLENITUDE da divindade ou natureza divina;
Premissa 3: Jeová NUNCA recebeu atributos de nenhuma outra entidade, pois possui a plenitude inerente, em sua "essência".
Logo: Jesus não é o Onipotente.
Logo: Jeová é o Onipotente que concede todos os atributos de Jesus, O SEU FILHO. [ João 10:36 ]

CONCLUSÃO
Jesus ao ser criado recebeu a divindade do Pai. Porém, não a plena divindade, (Col. 1:19), pois foi criado apenas com a vida eterna. Depois de ser ressuscitado, Jesus recebeu a IMORTALIDADE. João 5:26. Dai para frente, Jesus herdou a PLENA DIVINDADE DO ÚNICO DIVINO NAS ESCRITURAS, JEOVÁ.  


MATÉRIAS ADICIONAIS
Voltar para o conteúdo