CRIAÇÃO OU EVOLUÇÃO? - https://adeusheresias.com.br

www.ADEUS HERESIAS.com.br
Site dedicado a pessoas sinceras estudiosas da Bíblia.
Ir para o conteúdo

CRIAÇÃO OU EVOLUÇÃO?

*A CRIAÇÃO DE GÊNESIS É UM MITO* ?
Gênesis significa: origem ou nascimento (do universo).

A CRIAÇÃO DE GÊNESIS
Gênesis significa: origem ou nascimento (do universo material).

A ORIGEM DO UNIVERSO MATERIAL
Gênesis 1:1, "No princípio Deus criou os céus e a terra". Note que é a criação geral MATERIAL.  
Este "princípio" é o princípio de quando começou a criação material, ou seja, todo universo MATERIAL. (YHVH não tem princípio) Sal 90:2.
Em Gênesis 2:4,  Deus menciona o autor da criação de tudo material, cita o autor da criação, por nome. Mas, jamais, Deus YHVH explica como e quando criou tudo de maneira científica.

A CRIAÇÃO IMATERIAL
Deus criou o universo depois de incontáveis milhares de milênios APÓS ter criado Seu próprio Filho, pois, relata-se que o Filho já existia antes da criação material. Prov. 8:22-30,  João 1:1,2; Col. 1:17; Apoc. 3:14.  Relata-se um período de tempo não especificado, que YHVH permaneceu sozinho antes da Criação de Seu Filho. Dan. 7:13,14.

É fato que depois da Criação de Seu Filho, (A primeira criatura. Apoc. 3:14), Deus criou todos anjos em suas categorias, com a participação de seu Filho UNIGÊNITO.  Em Gênesis 1:26,27 YHVH convida seu Arquiteto para participar na Criação de tudo inclusive dos homens.
Observa-se que a Criação IMATERIAL terminou quando todos anjos foram criados. Jó 38:4-7.

Na verdade, GÊNESIS CAPÍTULO 1 é uma obra prima em consonância com a ciência. Estudiosos em gramática de línguas do Gênesis jamais conseguirão eliminar a inspiração divina do relato apesar deles considerarem este capítulo um Mito.

Em primeiro Lugar, o que mais conforta os sinceros leitores da Bíblia é a AUTENTIFICAÇÃO que Nosso senhor Jesus Cristo deu ao relato de Gênesis. Veja Mateus 19:4,5: "Jesus respondeu: “Não leram que aquele que os criou no princípio os fez homem e mulher,  e disse: ‘Por essa razão o homem deixará seu pai e sua mãe e se apegará à sua esposa, e os dois serão uma só carne’?
Você acha que o relato de Gênesis capítulos 1 e 2 tendo o aval de Jesus o Filho de Deus poderiam ser um Mito?

Em segundo lugar o relato de Gênesis Capítulo 1 é totalmente de acordo com a ciência moderna. Um cidadão comum e rudimentar como era Moisés, o escritor de Gênesis, jamais poderia descrever a sequência exata dos dias criativos para o acabamento da Terra, de acordo com a fotossíntese.
Críticos sem conhecer os fatos abaixo não aceitam o relato como exato.

Em terceiro lugar, o relato de Gênesis afirma que o universo material tem trilhões de anos de idade (Inclusive a Terra). O relato deixa claro que os sete dias criativos é apenas com relação ao acabamento da Terra. Percebe-se que a finalização da criação é em relação a Terra. Gên. 1:2. E que cada dia Criativo das coisas dentro da terra, pode ser de 7.000 anos, conforme o sétimo dia é de 7000 anos.

Em quarto Lugar, as pesquisas acadêmicas dos teólogos são irrealistas com relação ao pluralidade de Elohim, afirmando que o criador e Deus único é composto de vários deuses.

Por fim, depois de tudo formado, YHVH relata a criação do homem e seu estabelecimento na Terra e  mostrar a ocupação da Terra inteira pelo humanidade decaída.


ACABAMENTO DA TERRA
1- À partir de Gênesis 1:2, não se trata mais da criação do universo, mas, do acabamento da Terra. (Tudo já estava criado no universo)
2- A descrição de Gênesis a partir de Gênesis 1:2, é feita do ponto de vista de um observador aqui na Terra.
3- Logo no primeiro dia a Luz "AJA LUZ", a luz do Sol ja criado anteriormente, não penetrava aqui na terra pela densa camada de fumaça e vapores na atmosfera da terra. (LUZ DIFUSA)
4- Pelo fato acima, até o resfriamento da Terra, só no quatro longo dia (criativo) se enxergou  todos os astros fora da terra (Todos já criados). Os luzeiros maior e menor, o sol e a lua e os astros todos do Céu.
5- As pesquisas acadêmicas dos teólogos são irrealistas com relação ao pluralidade de Elohim, afirmando que o criador e Deus único é composto de vários deuses.
6- Depois de tudo formado na Terra, YHVH relata a criação do homem e seu estabelecimento na Terra. Deus Continua a mostrar a ocupação da Terra inteira pelo humanidade decaída.


*O RELATO DE GÊNESIS É IMPAR*
Relatos paralelos  da Criação por fontes seculares, não conseguirão explicar outros detalhes, que apenas o relato bíblico explica:
a)- A origem dos animais e do homem.
b)- Por que o Homem perdeu a Vida eterna?
c) - Por que existem a Morte e o Sofrimento?
e)-  Como YHVH acabará com a Morte?


*QUESTIONAMENTOS DE ATEUS E EVOLUCIONISTAS SOBRE A CRIAÇÃO*
01- O relato bíblico de Gênesis é que a Terra é Jovem e pela ciência a Terra tem bilhões de anos.
O que os leitores da Bíblia não perceberam é que em Gênesis 1:1, Deus relata a criação do universo num período de bilhões de anos, e descreve em Gênesis 1:2 em diante, apenas o Acabamento das coisas aqui dentro de nosso planeta já criado anteriormente. Os seis dias criativos de coisas aqui dentro da terra são também de milhares de anos.

02- Os dias criativos de Gênesis são de 24 hs e cientificamente a criação da Terra tem bilhões de anos.
Gênesis relata sete dias, sendo 6 criativos e o sétimo o dia do Descanso de Deus. Se ler atentamente vai confirmar que o sétimo dia iniciou-se depois da criação de Eva e terminará no final do reino milenar de Cristo, o que totalizam 7000 anos. Gên. 1:31; 2;1. Provavelmente todos os dias criativos das coisas aqui dentro da Terra são de 7000 anos.

03- O relato de Gênesis é alegórico ou um mito.
Jesus deixa claro que a Criação em Gênesis é real com pessoas reais e fatos científicos comprovados. Inclusive o processo da fotossíntese. Mateus 19:4,5

04- A Bíblia diz que a Terra foi criada esférica, mas em Gênesis diz que ele era sem forma e vazia. Isaías 40:22
Todos planetas e astros do universo formam criados há bilhões de anos atrás em formas esféricas Gên. 1:1. Depois de suas criações todos os planetas, astros e a Terra, passaram a um processo de ACABAMENTO.  Gên. 1:2. Os dias 6 dias criativos de Gênesis são com relação as coisas materiais que encheriam o nosso Planeta. (Jamais do universo)
Esta descrição da Terra recém criada, formada não era da aparência externa. Todos planetas e astros do universo formam criados em formas esféricas.

05- O homem foi criado do "pó da terra". Gên. 2:7.
O relato de Gênesis não subentende que Deus fez uma masseira de barro e modelou um boneco de barro. Quando Deus criou o homem passou a utilizar as matérias e substâncias do solo terrestre. O corpo criado para Adão era constituído de elementos da natureza: 70% de água, cálcio, carbono, etc. Era um corpo perfeito de carne e osso idêntico aos nossos corpos, porém sem vida. Posteriormente Deus soprou lhe o fôlego da vida, fazendo aquele corpo viver. O corpo carnal com vida passou a SER uma ALMA VIVENTE.  Gên. 2:7; 3:19.  
A comprovação final é que o homem não sobrevive sem as substâncias do pó do solo. As vegetações extraem as substâncias necessárias para o homem repô-las pela alimentação diária.

06- A serpente fala com Eva. Gên. 3:1-4.
Nenhum dos seres entre os animais falam com o dom do raciocínio. Raros seres inferiores aos homens ouvem nossa fala ou sons emitidos por nós humanos e os repetem.  
Deus ao representar Satanás por uma serpente, dragão, quis mostrar as qualidades que ele usaria para enganar Eva.  De fato, a serpente no Éden jamais falou literalmente por conta própria. A própria Bíblia mais tarde, identifica o autor dos raciocínios e astúcias para enganar Eva. 1 Tim. 2:14; 2 Cor. 11:3; Apoc. 12:9.

07- Adão e Eva se tornaram uma só carne é anticientífico. Gên. 2:24; Mat. 19:5; Ef. 5:31.
Quando qualquer pessoa se casa ela se torna uma só carne com seu respectivo cônjuge. Veja: "Por exemplo, a mulher casada está amarrada por lei ao seu marido enquanto ele viver; mas, se o marido morrer, ela ficará livre da lei do seu marido.  Por isso, enquanto o seu marido viver, ela será chamada de adúltera caso se torne de outro homem. Mas, se o marido morrer, ela ficará livre da lei dele, de modo que não será adúltera caso se torne de outro homem". Romanos 7:2,3.
Não se trata de uma fusão da carne dum cônjuge com o outro. De modo que quando um casal está unido no matrimônio, o corpo de um pertence ao outro para fins sexuais. (união conjugal) 1 Cor.7:2-5

08- Eva foi criada da costela de Adão. Gên. 2:21-23
É comprovado cientificamente que para se clonar um ser humano ou animal, o melhor material para colher o DNA é o material colhido é o retirado dos ossos. Por isso é que na Bíblia é comum que ela se refira a um grau de parentesco muito próximo, dizer: "OSSOS DOS MEUS OSSOS".  Gên. 2:21-23; Sal. 38:3; 139:15; Prov. 14:30; Vide também Gên. 29:14; 37:27; 2Sa 5:1.

09- A evolução é um fato, houve evolução dos seres inferiores até o homem.
Não existe nenhuma literatura científica que a evolução seja um FATO. O que consta é que ela é uma TEORIA até os dias de hoje.

10- Gênesis falhou ao dizer que um humano viveu mais de 900 anos?
Adão viveu 930 anos. Por que essa idade tão alta? Adão era um homem de genética perfeita. A medida que a raça humana foi se multiplicando a perfeição humana foi se desgenerando gradativamente. Com o decorrer a história da humanidade a idade média das pessoas diminuiu. Depois do dilúvio a idade média declinou-se rapidamente. Veja Gênesis capítulo 5 inteiro.

11- Como migraram os animais que saíram da arca do monte Ararate para o restante da terra?
Até antes do dilúvio a geografia da terra era totalmente diferente da atual. A maior parte da água do planeta terra estava concentrada acima na atmosfera terrestre Gên. 1:7; 7:11,12 Havia terra seca de tal modo que o homem e os animais poderiam se locomover através da terra inteira. As águas diluvianas dos céus que se precipitaram e causaram o surgimento de morros e elevações cada vez mais altos, mudando a geográfica terrestre até hoje.  



CRIAÇÃO OU EVOLUÇÃO?
Definição: Criação, segundo explicado na Bíblia, significa que o Deus Todo-poderoso projetou e trouxe à existência o universo, incluindo outras pessoas espirituais e todas as espécies básicas de vida sobre a terra.

Neste moderno mundo científico, há lógica em crermos na criação?
“As leis naturais do universo são tão precisas que não temos nenhuma dificuldade em construir uma espaçonave para voar até a lua, e podemos cronometrar o vôo com a precisão de uma fração de segundo. Essas leis devem ter sido estabelecidas por alguém.” — Citado de Wernher von Braun, que teve muito que ver com o envio de astronautas americanos à lua.

O universo físico:
Se encontrasse um cronômetro de precisão, concluiria que foi formado por se ajuntarem por mero acaso algumas partículas de pó? Claramente, alguém com inteligência o teria feito. Existe um “relógio” ainda mais magnífico. Os planetas no nosso sistema solar, também as estrelas no inteiro universo, movem-se numa velocidade de muito maior precisão do que a maioria dos relógios projetados e fabricados pelo homem. A galáxia em que nosso sistema solar se acha localizado contém mais de 100 bilhões de estrelas, e os astrônomos calculam que há 100 bilhões dessas galáxias no universo. Se um relógio é evidência de um projeto inteligente, quanto mais o é o imensuravelmente mais vasto e complexo universo! A Bíblia descreve o Projetista dele como sendo “o verdadeiro Deus, Jeová, o Criador dos céus e o Grandioso que os estendeu”. — Isa. 42:5; 40:26; Sal. 19:1.

O Planeta Terra: Se, ao atravessar um deserto árido, encontrasse uma linda casa, bem aparelhada em todos os sentidos e com estoque de alimentos, acreditaria que ela veio a estar ali por alguma explosão casual? Não; compreenderia que alguém com considerável sabedoria a construiu.
Bem, os cientistas ainda não encontraram vida em nenhum dos planetas do nosso sistema solar, exceto a terra; a evidência disponível indica que os outros são desertos. Este planeta é, conforme a obra The Earth diz, “a maravilha do universo, uma esfera sem igual”. (Nova Iorque, 1963, Arthur Beiser, p. 10)

Acha-se a uma distância precisamente certa do sol para a vida humana, e move-se na velocidade precisamente certa para ser mantido em órbita. A atmosfera, da espécie encontrada apenas em volta da terra, é composta de uma proporção precisamente certa de gases para sustentar a vida.
Maravilhosamente, a luz procedente do sol, o bióxido de carbono do ar, a água e os minerais procedentes do solo fértil se conjugam para produzirem alimento para os habitantes da terra.

Será que tudo isso aconteceu em resultado de alguma explosão descontrolada no espaço?
Science News admite: “Parece que dificilmente tais condições específicas e precisas poderiam ter surgido por acaso.” (24 e 31 de agosto de 1974, p. 124) A conclusão da Bíblia é lógica, ao declarar: “Cada casa, naturalmente, é construída por alguém, mas quem construiu todas as coisas é Deus.” — Heb. 3:4.

O cérebro humano:
Os computadores modernos são o produto de intensiva pesquisa e meticulosa engenharia. Não surgiram por “mero acaso”. Que dizer do cérebro humano? Diferente do cérebro de qualquer animal, o cérebro de um bebê humano aumenta três vezes em tamanho durante seu primeiro ano de vida. Ainda é em grande parte um mistério o seu funcionamento para os cientistas. Nos humanos, existe a capacidade inata de aprender línguas complexas, de apreciar a beleza, de compor música, de refletir sobre a origem e o significado da vida.

O neurocirurgião Robert White disse: “Não tenho outra escolha senão reconhecer a existência de um Intelecto Superior, responsável pelo projeto e pelo desenvolvimento da incrível relação cérebro-mente — coisa que está muito além da capacidade de entendimento do homem.” (The Reader’s Digest, de setembro de 1978, p. 99)
O desenvolvimento desta maravilha começa a partir de uma minúscula célula, fertilizada, na madre. Com notável discernimento, o escritor bíblico Davi disse a Jeová: “Elogiar-te-ei porque fui feito maravilhosamente, dum modo atemorizante. Teus trabalhos são maravilhosos, de que minha alma está bem apercebida.” — Sal. 139:14.

A célula viva:
Uma única célula viva é às vezes mencionada como sendo uma forma “simples” de vida. Mas um animal unicelular pode apanhar alimento, digeri-lo, livrar-se de excreções, construir uma casa para si e empenhar-se em atividade sexual. Cada uma das células do corpo humano tem sido assemelhada a uma cidade murada, com um governo central para manter a ordem, uma usina elétrica para gerar energia, fábricas para a produção de proteínas, um complexo sistema de transporte e guardas para fiscalizarem o que é permitido entrar. E um único corpo humano é composto de tantos quantos 100 trilhões de células.
Quão apropriadas são as palavras do Salmo 104:24: “Quantos são os teus trabalhos, ó Jeová! A todos eles fizeste em sabedoria”!

Dá a Bíblia margem à idéia de que Deus usou a evolução para produzir as várias espécies de coisas viventes?
Gênesis 1:11, 12 diz que a relva e as árvores foram feitas para produzirem cada qual “segundo a sua espécie”. Os versículos 21, 24 e 25  acrescentam que Deus criou as criaturas marítimas, as criaturas voadoras e os animais terrestres, cada um deles “segundo a sua espécie”. Não há margem aqui para dizer que uma só espécie básica evoluísse ou se transformasse em outra.

Com respeito ao homem, Gênesis 1:26 relata que Deus disse: “Façamos o homem à nossa imagem, segundo a nossa semelhança.” Portanto, ele havia de ter qualidades semelhantes às de Deus, não características que fossem simplesmente um desenvolvimento das de um animal. Gênesis 2:7 acrescenta: “Jeová Deus passou a formar o homem [não de uma forma de vida preexistente, mas] do pó do solo e a soprar nas suas narinas o fôlego de vida.” Não se sugere aqui uma evolução, mas, antes, é a descrição de uma nova criação.

Será que Deus criou todos os milhões de variedades de organismos que existem hoje na terra?
Gênesis capítulo 1 diz simplesmente que Deus criou cada qual “segundo a sua espécie”. (Gên. 1:12, 21, 24, 25) Em preparação do Dilúvio global nos dias de Noé, Deus orientou que membros representantes de cada “espécie” de animal terrestre e criatura voadora fossem levados para dentro da arca. (Gên. 7:2, 3, 14) Cada “espécie” possui o potencial genético para produzir uma grande variedade.
De modo que há, segundo os relatos, mais de 400 raças diferentes de cães e mais de 250 raças e tipos de cavalos. Todas as variedades interférteis de qualquer animal são uma só “espécie” mencionada em Gênesis.
De modo similar, todas as variedades de humanos — os orientais, os africanos, os caucasianos, os dincas do Sudão que têm mais de dois metros de altura e os pigmeus de apenas um metro e trinta centímetros — procedem de um só casal original, Adão e Eva. — Gên. 1:27, 28; 3:20.

Qual é a explicação das similaridades básicas na estrutura de coisas viventes?
“Deus . . . criou todas as coisas.” (Efé. 3:9) De modo que todas as coisas tiveram o mesmo Grande Projetista.
“Todas as coisas vieram à existência por intermédio dele [o Filho unigênito de Deus, que se tornou Jesus Cristo quando estava na terra], e à parte dele nem mesmo uma só coisa veio à existência.” (João 1:3) Assim, houve um só Mestre-de-obras por intermédio de quem Jeová realizou suas obras de criação. — Pro. 8:22, 30, 31.

Qual é a origem da matéria-prima da qual o universo é feito?
Os cientistas sabem que a matéria é uma forma concentrada de energia. Isto é demonstrado com a explosão de armas nucleares. O astrofísico Josip Kleczek declara: “A maioria, e possivelmente todas as partículas elementares, podem ser criadas pela materialização de energia.” — The Universe (Boston, EUA, 1976) Vol. 11, p. 17.

Donde poderia vir tal energia? Após perguntar: “Quem criou estas coisas [as estrelas e os planetas]?”, a Bíblia declara a respeito de Jeová Deus: “Devido à abundância de energia dinâmica, sendo ele também vigoroso em poder, não falta nem sequer uma delas.” (Isa. 40:26) Portanto, o próprio Deus é a Fonte de toda a “energia dinâmica” que era necessária para criar o universo.

Foi toda a criação física executada em apenas seis dias em alguma época nos últimos 6.000 a 10.000 anos?
Mas, é razoável crer que tudo nesta terra foi criado em seis dias?
Existem alguns grupos religiosos que ensinam que Deus criou todas as coisas em seis dias de 24 horas. Mas não é isso que a Bíblia diz.
Gênesis 1:3-31 diz como Deus preparou a terra, que já existia, para ser habitada pelos humanos. Diz que isso foi feito num período de seis dias, mas não diz que eram dias de 24 horas. Não é incomum uma pessoa falar dos “dias de seus avós”, querendo dizer o inteiro período de vida deles. Assim também a Bíblia amiúde emprega o termo “dia” para descrever um período de tempo de certa duração. (Compare com 2 Pedro 3:8.)
De modo que os ‘dias’ mencionados em Gênesis, capítulo 1, poderiam razoavelmente ser de uma extensão de milhares de anos.

Os fatos discordam de tal conclusão:
(1) A luz procedente da nebulosa Andrômeda pode ser observada numa noite clara no hemisfério setentrional. Leva cerca de 2.000.000 de anos para essa luz atingir a terra, o que indica que o universo deve ter pelo menos milhões de anos.
(2) Os resíduos da decomposição radioativa nas rochas na terra atestam que algumas formações rochosas ficaram inalteradas por bilhões de anos.

Gênesis 1:3-31 não está tratando da criação original da matéria ou dos corpos celestes.
Descreve a preparação da terra já existente para a habitação humana. Isto incluía a criação das espécies básicas de vegetação, vida marinha, criaturas voadoras, animais terrestres e do primeiro casal humano. Diz-se que tudo isso foi feito dentro de um período de seis “dias”. Entretanto, a palavra hebraica traduzida por “dia” tem uma variedade de significados, incluindo ‘um longo tempo; o tempo que abrange um evento extraordinário’. (Old Testament Word Studies, Grand Rapids, Mich.; EUA, 1978, W. Wilson, p. 109)
O termo empregado dá margem à idéia de que cada “dia” pode ter sido de milhares de anos de duração.


EVOLUÇÃO
Definição: Evolução orgânica é a teoria de que o primeiro organismo vivo se desenvolveu de matéria sem vida. Daí, diz-se que, ao se reproduzir, transformou-se em espécies diferentes de coisas vivas, produzindo por fim todas as formas de vida vegetal e animal que já existiram nesta terra. Diz-se que tudo isso se realizou sem a intervenção sobrenatural de um Criador. Algumas pessoas tentam misturar a crença em Deus com a evolução, dizendo que Deus utilizou a evolução para criar as coisas, que trouxe à existência as formas primitivas de vida e que depois as formas mais elevadas de vida, incluindo o homem, foram produzidas por meio da evolução. Não é ensinamento bíblico.


É realmente científica a evolução?
Eis como é o “método científico”: Observar o que acontece; à base de tais observações, criar uma teoria quanto àquilo que talvez seja verdadeiro; testar a teoria por meio de observações adicionais e por experiências; e prestar atenção para ver se as predições baseadas na teoria se confirmam. É este o método seguido pelos que crêem na evolução e a ensinam?
O astrônomo Robert Jastrow diz: “Para o dissabor deles, [os cientistas] não dispõem duma resposta precisa, porque os químicos jamais tiveram êxito em reproduzir as experiências da natureza sobre a criação da vida à partir da matéria inanimada. Os cientistas não sabem como isso aconteceu.” — The Enchanted Loom: Mind in the Universe (Nova Iorque, 1981), p. 19.

O evolucionista Loren Eiseley reconheceu: “Após censurar o teólogo pela sua confiança no mito e no milagre, a Ciência viu-se na posição, que nada tinha de invejável, de ter de criar uma sua mitologia, isto é, de ter de assumir que aquilo que, após longo esforço, não podia ser provado tivesse acontecido hoje, se verificara, realmente, no passado primevo.” — A Imensa Jornada (Trad. de Aldo Della Nina, São Paulo, SP, Brasil, 1964), p. 164.

Segundo a revista New Scientist: “Um crescente número de cientistas, mais especificamente um avolumante número de evolucionistas . . . argumenta que a teoria darwiniana da evolução não é, de jeito nenhum, uma teoria genuinamente científica. . . . Muitos de tais críticos dispõem das mais altas credenciais intelectuais.” — 25 de junho de 1981, p. 828.

O físico H. S. Lipson disse: “A única explicação aceitável é a criação. Sei que isto é anátema para os físicos, como deveras é para mim, mas não devemos rejeitar uma teoria da qual não gostamos, se a evidência experimental a apóia.” (Grifo acrescentado.) — Physics Bulletin, 1980, Vol. 31, p. 138.

Estão de acordo os que sustentam a evolução? Diante de tais fatos, o que acha daquilo que ensinam?
A introdução da edição centenária da obra de Darwin, Origem das Espécies (na ed. em inglês, Londres, 1956), diz: “Como sabemos, há grande divergência de opiniões entre os biólogos, não só quanto às causas da evolução, mas também, até mesmo, sobre o processo em si. Tal divergência existe porque a evidência é insatisfatória e não permite nenhuma conclusão abalizada. Por conseguinte, é correto e apropriado trazer à atenção do público não-científico os desacordos sobre a evolução.”  Por W. R. Thompson, então diretor do Instituto de Controle Biológico da Comunidade Britânica, de Ottawa, Canadá.

“Decorrido um século desde a morte de Darwin, ainda não temos a menor idéia demonstrável, ou mesmo plausível, de como a evolução realmente ocorreu — e, nos anos recentes, isto levou a uma série extraordinária de batalhas sobre o assunto todo. . . . Existe um estado de guerra quase declarada entre os próprios evolucionistas, instando todo o tipo de seita [evolucionista] que haja alguma nova modificação.” — C. Booker (redator do Times de Londres), The Star, (Johannesburg, África do Sul), 20 de abril de 1982, p. 19.

A revista científica Discover dizia:
“A evolução . . . não está sob o ataque apenas de cristãos fundamentalistas, mas também é questionada por cientistas de grande reputação. Entre os paleontólogos, cientistas que estudam os fósseis, há crescente discordância.” — Outubro de 1980, p. 88.

Que conceito é apoiado pela documentação fóssil?
Darwin reconheceu: “Se espécies numerosas . . . tivessem realmente surgido bruscamente, este fato derrubaria a teoria da evolução.” (A Origem das Espécies, trad. de Eduardo Fonseca, São Paulo, 1981, p. 307) Indica a evidência que “numerosas espécies” vieram à existência ao mesmo tempo, ou mostra ela que houve um desenvolvimento gradual, segundo sustenta a evolução?

Foram encontrados suficientes fósseis para se chegar a uma conclusão bem fundada?
Porter Kier, cientista do Instituto Smithsoniano, diz: “Há cem milhões de fósseis, todos catalogados e identificados, nos museus ao redor do mundo.” (New Scientist, de 15 de janeiro de 1981, p. 129) A obra A Guide to Earth History acrescenta: “Com o auxílio dos fósseis, os paleontólogos podem agora fornecer-nos um excelente quadro da vida nas eras antigas.” — (Nova Iorque, 1956), de Richard Carrington, edição de Mentor, p. 48.

Que revela realmente a documentação fóssil?
O Bulletin do Museu Field de História Natural, de Chicago, EUA, indicava: “A teoria da [evolução], de Darwin, sempre esteve estreitamente vinculada com a evidência fóssil, e, provavelmente, a maioria das pessoas presume que os fósseis desempenham uma parte importantíssima no argumento geral a favor das interpretações darwinianas da história da vida. Infelizmente, isto não é estritamente verídico. . . . a documentação geológica não apresentava naquele tempo, e ainda não apresenta, uma cadeia finamente graduada de evolução lenta e progressiva.” — Janeiro de 1979, Vol. 50, N.° 1, pp. 22, 23.

A View of Life diz: “Começando na base do período cambriano, e estendendo-se por cerca de 10 milhões de anos, todos os principais grupos de invertebrados dotados de esqueletos surgiram pela primeira vez, no aparecimento diversificado mais espetacular que já foi registrado em nosso planeta.” — (Califórnia, 1981), de Salvador E. Luria, Stephen Jay Gould e Sam Singer, p. 649.

O paleontólogo Alfred Romer escreveu: “Abaixo deste [período cambriano], há vastas camadas de sedimentos em que seria de esperar que houvesse os progenitores das formas cambrianas. Mas não os encontramos; estes leitos mais antigos são quase desprovidos de evidência de vida, e pode-se razoavelmente dizer que o quadro geral é coerente com a idéia da criação especial no começo das épocas cambrianas.” — Natural History, de outubro de 1959, p. 467.

O zoólogo Harold Coffin diz: “Caso fosse correta a evolução progressiva do simples para o complexo, deveriam ser encontrados os ancestrais dessas criaturas viventes completamente desabrochados no cambriano; mas, não foram encontrados, e os cientistas admitem que existe muito pouca perspectiva de serem algum dia encontrados. À base apenas destes fatos e à base do que realmente é encontrado na terra, a teoria dum ato criativo súbito, em que as principais formas de vida foram estabelecidas, enquadra-se melhor.” — Liberty, de setembro/outubro de 1975, p. 12.

O astrônomo Carl Sagan, reconheceu de modo honesto na sua obra Cosmos: “As evidências fósseis podem ser consistentes com a idéia de um Grande Projetista.” — (Trad. de Angela N. Machado, Rio de Janeiro, Brasil; 1983), p. 29.

Seria o caso de o processo da evolução ter resultado de mutações, isto é, súbitas mudanças drásticas nos genes?
Science Digest diz: “Os revisionistas evolucionários crêem que as mutações nos genes-chaves reguladores podem ser exatamente as perfuratrizes genéticas exigidas pela sua teoria de salto quântico.” Entretanto, a revista cita também o zoólogo britânico Colin Patterson, que disse: “Trata-se de especulação gratuita. Nada sabemos sobre estes genes-mestres reguladores.” (Fevereiro de 1982, p. 92)
Em outras palavras, não existe evidência em apoio dessa teoria.

The Encyclopedia Americana reconhece: “Parece difícil conciliar o fato de que a maioria das mutações são prejudiciais ao organismo com o conceito de que as mutações são a fonte das matérias-primas para a evolução. Deveras, os mutantes ilustrados nos compêndios de biologia são uma coleção de aleijões e monstruosidades, e a mutação parece ser um processo destrutivo, em vez de construtivo.” — (1977), Vol. 10, p. 742.

Que dizer dos “homens-macacos” retratados nos livros didáticos, nas enciclopédias e nos museus?
“A carne e os cabelos em tais reconstituições têm de ser supridos por se recorrer à imaginação. . . . A cor da pele; a cor, a forma e a distribuição dos cabelos; a forma das feições; o aspecto do rosto — não sabemos absolutamente nada sobre estes caracteres de quaisquer homens pré-históricos.” — The Biology of Race (Nova Iorque, 1971), de James C. King, pp. 135, 151.
“A ampla maioria das concepções artísticas baseia-se mais na imaginação do que na evidência. . . . Os artistas precisam criar algo entre o símio e o ser humano; quanto mais antigo se diz que é o espécime, tanto mais simiesco o tornam.” — Science Digest, de abril de 1981, p. 41.

“Assim como aprendemos aos poucos que os homens primitivos não eram necessariamente selvagens, assim também temos de aprender a reconhecer que os homens primitivos da Época Glacial não eram nem animais brutos, nem metade macacos, nem cretinos. Daí a indescritível estupidez de todas as tentativas de reconstituir o homem de Neanderthal, ou mesmo o de Pequim.” — Man, God and Magic (Nova Iorque, 1961), Ivar Lissner, p. 304.

Não apresentam os compêndios a evolução como um fato?
“Muitos cientistas sucumbem à tentação de serem dogmáticos, . . . vez após vez, a questão da origem das espécies tem sido apresentada como se já estivesse definitivamente resolvida. Nada poderia estar mais longe da verdade. . . . Persiste, contudo, a tendência para o dogmatismo, e isso de nada serve à causa da ciência.” — The Guardian, Londres, de 4 de dezembro de 1980, p. 15.


                   GENOMA   PROJETADO PELO CRIADOR

CONCLUSÃO: SERÁ QUE OS EVOLUCIONISTAS SABERIAM  explicar  como a vida começou sem um Criador. Para que a primeira forma de vida, por exemplo, uma célula, pudesse continuar a existir, ela teria de se reproduzir, ou fazer cópias de si mesma. Um professor de química disse: “Mesmo a mais simples forma de vida é algo tão complicado que ficamos impressionados. Disse que, entre outras coisas, ela precisaria:
(1) de uma membrana para proteção (tipo uma pele),
(2) conseguir energia e ser capaz de usá-la,
(3) de informações nos genes (DNA) e
(4) fazer cópias dessas informações.

RECRIAÇÃO. 
Jesus falou aos seus apóstolos também sobre uma “recriação” e associou esta com o tempo em que “o Filho do homem se assentar no seu glorioso trono”. (Mt 19:28; Lu 22:28-30) A palavra grega traduzida por “recriação” é pa·lin·ge·ne·sí·a, composta de elementos que significam “novamente; de novo; mais uma vez”, e “nascimento; origem”. Filo usou o termo com referência à reconstituição do mundo após o Dilúvio. Josefo usou-o com respeito ao restabelecimento de Israel após o exílio. O Theological Dictionary of the New Testament (Dicionário Teológico do Novo Testamento), editado por G. Kittel, diz que o uso de pa·lin·ge·ne·sí·a, em Mateus 19:28.

De modo que a referência não é feita a uma nova criação, mas a uma regeneração, ou renovação, por meio da qual se realiza plenamente o propósito de Jeová para com a terra.
Sob o domínio do Reino, asseguram-se grandiosas bênçãos à humanidade obediente, “a criação” que “será liberta da escravização à corrupção e terá a liberdade gloriosa dos filhos de Deus”. (Ro 8:19-21; [Liberdade Gloriosa dos Filhos de Deus].

No sistema de coisas prometido e criado por Deus “há de morar a justiça”. (2Pe 3:13) A certeza do seu estabelecimento é enfatizado pela visão apocalíptica de João e sua declaração: “Eu vi um novo céu e uma nova terra.” Apoc. 21:1-5.


CONCLUSÃO Não houve evolução de uma espécie para outra. O que houve é a adaptação de cada espécie em seus habitantes depois de criados.
Deus é Claro: Todas espécies de animais foram criadas juntas não permitindo a evolução para a espécie humana a última criação de Deus.  
O grande impasse para os evolucionistas é explicar quem implantou uma consciência num macaco homem quando ele evoluiu para um homem.

MATÉRIA ADICIONAL

Voltar para o conteúdo