144.000 - SÓ ELES SERÃO REIS E SACERDOTES COM CRISTO? - https://adeusheresias.com.br

www.ADEUS HERESIAS.com.br
Site dedicado a pessoas sinceras estudiosas da Bíblia.
Ir para o conteúdo

144.000 - SÓ ELES SERÃO REIS E SACERDOTES COM CRISTO?

SACERDOTE: ELO DE LIGAÇÃO ENTRE DEUS E HOMENS.
Homem que representava oficialmente a Deus perante o povo, ensinando-os sobre Deus e suas leis. Os sacerdotes também representavam o povo perante Deus, oferecendo sacrifícios, intercedendo e suplicando por eles.

Antes da Lei mosaica, os chefes de família serviam como sacerdotes para suas famílias. Sob a Lei mosaica, os filhos de Arão, da tribo de Levi, formaram um sacerdócio. Os demais levitas eram seus assistentes. Quando o novo pacto foi instituído, o Israel espiritual se tornou uma nação de sacerdotes, com Jesus Cristo como o sumo sacerdote. — Êx 28:41; He 9:24; Ap 5:10.

O SACERDÓCIO CRISTÃO.
Jeová prometera que Israel, se guardasse o Seu pacto, tornar-se-ia para Ele “um reino de sacerdotes e uma nação santa”. (Êx 19:6) Todavia, o sacerdócio da linhagem de Arão continuaria apenas até a vinda do sacerdócio maior que prefigurava. (He 8:4, 5)

Duraria até a terminação do pacto da Lei e a inauguração do novo pacto. (He 7:11-14; 8:6, 7, 13) A oferta foi primeiro feita exclusivamente aos de Israel, para que se tornassem sacerdotes de Jeová, servindo no arranjo do Reino prometido por Deus; com o tempo, esta oferta foi estendida aos gentios. — At 10:34, 35; 15:14; Ro 10:21.

Apenas um restante de judeus aceitou Cristo, deixando assim a nação de prover os membros do verdadeiro reino de sacerdotes e nação santa. (Ro 11:7, 20) Por causa da infidelidade de Israel, Deus o avisara disso com séculos de antecedência pelo seu profeta Oséias, dizendo: “Visto que tu rejeitaste o conhecimento, também eu te rejeitarei para que não me sirvas como sacerdote; e visto que te estás esquecendo da lei de teu Deus, eu me esquecerei dos teus filhos, sim, eu.” (Os 4:6)

De modo correspondente, Jesus disse aos líderes judeus: “O reino de Deus vos será tirado e será dado a uma nação que produza os seus frutos.” (Mt 21:43) Todavia, Jesus Cristo, por estar sob a Lei enquanto na terra, reconheceu que vigorava o sacerdócio arônico, e ele mandou que os que ele havia curado da lepra fossem ao sacerdote e fizessem a oferta exigida. — Mt 8:4; Mr 1:44; Lu 17:14.

No dia de Pentecostes do ano 33 EC, o pacto da Lei teve fim e se inaugurou o ‘pacto melhor’, o novo pacto. (He 8:6-9) Naquele dia, Deus tornou manifesta esta mudança pelo derramamento do espírito santo. O apóstolo Pedro explicou então aos judeus presentes, vindos de muitas nações, que sua única salvação estava então no arrependimento e na aceitação de Jesus Cristo. (At 2; He 2:1-4)

Mais tarde, Pedro falou de construtores judeus rejeitarem Jesus Cristo como pedra angular e então disse aos cristãos: “Mas vós sois ‘raça escolhida, sacerdócio real, nação santa, povo para propriedade especial.’” — 1Pe 2:7-9.

Pedro explicou também que o novo sacerdócio é uma ‘casa espiritual, tendo por objetivo um sacerdócio santo, para oferecer sacrifícios espirituais, aceitáveis a Deus, por intermédio de Jesus Cristo’. (1Pe 2:5) Jesus Cristo é seu grande Sumo Sacerdote, e eles, iguais aos filhos de Arão, constituem o sub-sacerdócio. (He 3:1; 8:1)

Todavia, diferentes do sacerdócio arônico, que não tinha parte no reinado, o reinado e o sacerdócio estão conjugados neste “sacerdócio real” de Cristo e dos seus co-herdeiros. No livro bíblico de Apocalipse, o apóstolo João fala dos seguidores de Jesus Cristo como ‘soltos dos nossos pecados por meio de seu próprio sangue’, e diz que “ele fez de nós um reino, sacerdotes para seu Deus e Pai”. —Apoc. 1:5, 6.

Este último livro da Bíblia revela também o número dos que constituem o corpo de sub-sacerdotes. Mostra-se que estes, que Jesus Cristo constituiu em “um reino e sacerdotes para o nosso Deus”, cantam um novo cântico, no qual dizem que foram comprados pelo sangue de Cristo. (Apoc. 5:9, 10) Mais adiante, os que cantam o novo cântico são enumerados como 144.000 “comprados dentre a humanidade como primícias para Deus e para o Cordeiro”. (Apoc. 14:1-5) Por fim, mostra-se que este sub-sacerdócio é ressuscitado para o céu e junta-se a Jesus Cristo no seu governo, tornando-se “sacerdotes de Deus e do Cristo” e ‘reinando’ com Cristo durante o seu Reinado de Mil Anos. — Apoc. 20:4, 6.

Pela comparação do sacerdócio de Israel, bem como das suas funções e dos seus benefícios para o povo daquela nação (He 8:5), podemos obter uma ideia dos benefícios e das bênçãos que as pessoas da terra derivarão do perfeito e eterno sacerdócio de Jesus Cristo e do seu corpo de sub-sacerdotes, durante o seu reinado conjunto sobre a terra, durante mil anos.

Terão o privilégio de ensinar ao povo a lei de Deus (Mal 2:7), conseguindo o completo perdão dos pecados à base do sacrifício resgatador do grande Sumo Sacerdote (administrando os benefícios do sacrifício de Cristo) e realizando a cura de todas as enfermidades (Mr 2:9-12; He 9:12-14; 10:1-4, 10), diferenciando o que é puro e o que é impuro aos olhos de Deus, e removendo toda a impureza (Le 13-15), julgando o povo em justiça e cuidando de fazer vigorar a lei justa de Jeová em toda a terra (De 17:8-13).

Assim como a antiga tenda de reunião, no ermo, era o lugar de morada de Deus com os homens, um santuário no qual podiam chegar-se a ele, assim durante os mil anos a tenda de Deus estará novamente com a humanidade em sentido muito mais achegado, mais duradouro e mais benéfico, ao passo que ele lida com eles de modo representativo por intermédio do seu grande Sumo Sacerdote, Jesus Cristo, e os 144.000 que servem com Cristo quais sub-sacerdotes no grande templo espiritual, prefigurado por aquele tabernáculo sagrado. (Êx 25:8; He 4:14; Apoc. 1:6; 21:3)

Com tal sacerdócio real, o povo certamente será feliz, assim como era Israel quando o reino e o sacerdócio eram fiéis a Deus, no tempo em que “Judá e Israel eram muitos, em multidão, iguais aos grãos de areia junto ao mar, comendo e bebendo, e alegrando-se” e morando “em segurança, cada um debaixo da sua própria videira e debaixo da sua própria figueira”. — 1Rs 4:20, 25.

PERGUNTA DE LEITOR
Os salvos passarão pela Grande Tribulação ou serão arrebatados antes dela?
RESPOSTA: Jesus afirmou claramente: Na grande tribulação ELE, salvará duas classes de pessoas. A primeira classe: arrebatamento dos Escolhidos em espírito. 1 Cor; 15:50; A segunda classe são as pessoas que serão salvas em carne e osso para saírem da grande tribulação e herdarem a Terra. Mat. 24:21,22,31; Prov. 2:21,22.
Em Apocalipse capítulo 7:1-4; 9-15 encontramos duas classes DISTINTAS de pessoas de salvas.
Veja o modelo profético de tabernáculo. São duas classes distintas de Pessoas a serem salvas:
A sacerdotal e o povo. Só a classe sacerdotal entra para o interior da cortina rasgada, com caminho livre para o céu ilustrando que HOJE que somente os 144.000 reis e sacerdotes serão arrebatados. Heb. 3:1; 10:1; 19-22.

O Povo dos átrios (pátios) NÃO eram são autorizados entrar no cômodo santo e muito menos no cômodo santo dos santos (santíssimo), e quando entravam morriam, simbolizando HOJE, a salvação da grande multidão na Terra. (classe beneficiada pela classe sacerdotal, a noiva de Cristo, na Nova Jerusalém). Heb. 9:7

Esse modelo profético do Tabernáculo simboliza também que a MEDIAÇÃO DE DEUS É SOMENTE FEITA PELO SUMO SACERDOTE JESUS com a classe  SACERDOTAL hoje os 144.000, os sub sacerdotes. E classe SACERDOTAL beneficiaria a Classe dos átrios (pátios),hoje a Grande Multidão. Apoc. 7:9,10. É por isso que Jesus é mediador de um novo pacto só com os 144.000 ungidos.

CONCLUSÃO
Em Horebe (ALIANÇA DA LEI) Jeová Deus já mostrou para a humanidade que sempre teria uma CLASSE ESPECIAL de REIS E SACERDOTES de pessoas escolhidas a dedo para beneficiar todos os povos da Terra. No antigo tabernáculo, Deus mostrou claramente uma CLASSE SUB-SACERDOTAL (Arônica) liderada por UM SUMO SACERDOTE que prefiguraria realidades do REINO MILENAR DE CRISTO. Êx. 19:6

Em PENTECOSTES a realidade já se configurava. Um SUMO SACERDOTE e sub-sacerdotes (144.000) para o REINO MILENAR. Assim como no antigo modelo profético, a CLASSE dos PÁTIOS (Átrios)  JAMAIS poderiam herdar o REINO CELESTIAL, pois eram proibidos de entrar no santo dos santos onde era restrito só para a classe sacerdotal. A classe dos Pátios não podia entrar nem ao menos no santo, a primeiro compartimento do tabernáculo ou templo, pois morreriam.

O que isto denotava?  Claro que, quando Cristo morreu, a cortina para o compartimento mais profundo rasgou-se. Isto era um indicativo que o SUMO iria para o CÉU e deixaria o caminho aberto para somente os sub sacerdotes acompanha-LO para a vida celestial, pois o povo em geral não podiam adentrar nem o primeiro cômodo do tabernáculo e ou do templo. Portanto, a classe dos pátios não iram para o CÉU com JESUS CRISTO, LITERALMENTE  juntos ao PAI JEOVÁ. Heb. CAPÍTULOS 8,9,10.
Viveriam para SEMPRE nos pátios TERRESTRES para sempre sendo beneficiados pelo NOVA JERUSALÉM a classe sacerdotal REAL. Apoc. 21:24.

CONCLUSÃO:  
No Novo Testamento só tem um (1) VERSÍCULO dirigido diretamente para os da GRANDE MULTIDÃO: Apoc. 22:17, QUEM não entender isso nunca entenderás a Bíblia!
"E o Espírito e a esposa (NOIVA) dizem: Vem! E quem ouve diga: Vem! E quem tem sede venha; e quem quiser tome de graça da água da vida". Apocalipse 22:17, Ferreira ARC.

MATÉRIA COMPLETA


Voltar para o conteúdo